administracao@medsurgery.com.br | (98) 3248-3888 - 3248 3212

Notícia

Brasil Recebe primeira imunoterapia contra câncer

Primeira imunoterapia contra câncer de mama desembarca no Brasil

Direcionada para o triplo negativo, que é o mais agressivo dos tipos de tumor de mama.

Embora a imunoterapia seja tida como a maior revolução da oncologia nos últimos anos, ela ainda não havia chegado ao câncer de mama. Eis que a aprovação no Brasil do medicamento atezolizumabe, da farmacêutica Roche, quebra esse paradigma e, de quebra, traz uma opção justamente contra o subtipo mais agressivo da doença e mais carente de inovações: o tumor de mama triplo-negativo.

A indicação do remédio é para os casos avançados ou metastáticos da enfermidade – ou seja, quando ela já se espalhou para outros órgãos. “Essas pacientes […] têm um prognóstico difícil. O tratamento aprovado pela Anvisa se torna o preferencial na prática clínica”, afirma o oncologista Carlos Barrios, do Grupo Oncoclínicas e diretor do Centro de Pesquisa em Oncologia do Hospital São Lucas (RS), que participou dos estudos que avaliaram a droga, em um comunicado à imprensa.

A aplicação do atezolizumabe em conjunto com um quimioterápico ampliou significativamente a sobrevida das mulheres. Você pode ver esses resultados em detalhes e entender o mecanismo de ação do medicamento em uma reportagem que fizemos um tempinho atrás, quando esses estudos saíram do forno.

Ao contrário dos tratamentos comuns contra o tumor, a imunoterapia não se volta contra a doença em si. Na verdade, ela estimula as células de defesa da pessoa a reconhecerem o inimigo e o atacarem. Desde o surgimento da classe, diversos cânceres foram beneficiados.

FONTE: saúde.abril

Share on facebook
Facebook